ILUMINAÇÃO NO JARDIM

Uma boa iluminação no jardim destaca a beleza da planta e complementa o projeto de paisagismo, além de promover mais segurança às pessoas que circulam de um ambiente para outro.

Você sabia que um projeto luminotécnico pode valorizar o seu ambiente? Isso acontece porque as plantas iluminadas de forma adequada se destacam no espaço.

O projeto começa entendendo o objetivo da iluminação e é preciso conhecer os tipos de plantas do jardim, quais luzes e equipamentos serão utilizados, o tamanho do espaço e qual será a sua finalidade de uso. Assim, para iniciar esse trabalho, é necessário fazer a marcação de todas as espécies e suas devidas dimensões e alturas para que a escolha das lâmpadas sejam feitas de forma correta. Dê uma volta pelo jardim quando anoitecer, para observar quais pontos pedem a presença de luz e preveja como e quando usarão esses espaços. Então, escolha  o tipo de iluminação para a estética e o desenvolvimento das plantas.

Existem lâmpadas com fachos mais abertos, ideais para espécies mais altas. Mas também há modelos com fachos mais fechados, para espécies mais baixas. Há, ainda, lâmpadas destinadas para iluminar somente a copa das árvores.

Tome nota!

  • As lâmpadas incandescentes emitem luzes agradáveis, mas consomem muita energia e têm vida útil curta.
  • As lâmpadas halogênicas são melhores por ter maior duração e menor gasto de energia.
  • As lâmpadas de Led possuem maior vida útil, consomem menos energia e esquentam menos, além de trazer menos risco de choques, sendo muito usadas em vasos.
  • As lâmpadas de baixa tensão são ideais para fazer jogo de luz e sombra entre os elementos.
  • Os tons das lâmpadas também precisam ser considerados. Luzes azuis e brancas transmitem um ar mais sofisticado ao jardim, já as luzes amarelas e laranjas são usadas para destacar elementos individuais.
  • As luminárias de Inox duram em média 10 anos, enquanto as de alumínio duram aproximadamente 04 anos.

Dicas de como estruturar o seu projeto de iluminação

1 – Pense na segurança
Considere o aspecto da visibilidade e a minimização de riscos de acidente, assalto e violações.

2 – Evite excessos desnecessários
A boa iluminação não é necessariamente a quantidade de lâmpadas e sim um bom projeto luminotécnico.

3 – A iluminação não é a ultima etapa da obra
A iluminação deve 
ser pensada antes da realização do plantio, devido aos pontos de elétrica que não devem ser sobrecarregados.

4 – Escolha a área de circulação
Determine os espaços dedicados à circulação de pessoas, evitando que a luz ofusque quem passa.

5 – Ilumine os locais de entrada e saída
Garanta uma boa iluminação nos acessos à casa e ao jardim.

6 – Estética
A iluminação deve ser sutil para que algumas plantas sejam vistas somente de silhueta e outras diretamente focalizadas.

7 – Direcione a luz
A iluminação lateral enfatiza melhor a textura e a forma, já a focada tende a chapar a superfície. D
e baixo para cima, a luz valoriza textura e verticalidade.

8 – Custo
Para economizar, trabalhe com circuitos diferentes que serão usados somente quando necessários.

9 – jardim pequeno
Restrinja a iluminação somente a um detalhe especifico, como fonte ou alguma planta escultural.

10 – Tamanho das plantas
Plantas de grande porte, use espetos com lâmpada Par 38 para acentuar a iluminação. Para plantas de pequeno porte, use lâmpada Par 20.

Dicas de como iluminar alguns ambientes da sua casa

 Iluminando a entrada da casa

  • Pontos de luz nas duas faces da porta (garagem e entrada social) e iluminação nas pontas.
  • Recomenda-se usar nas garagens luzes de baixa potência para não ofuscar a visão.

Iluminando os corredores, caminhos e escadas

  • Corredores, trajetos, escadas e degraus devem ser bem iluminados de forma segura e acolhedora.
  • A iluminação voltada para cima, ilumina o ambiente indiretamente.
  • Fonte de piso e solo – para não ofuscar os olhos.
  • Projetor com refletor interno com facho de luz de longo alcance são ideais para espécies de grande porte.
  • Para caminhos e escadas, recomenda-se usar balisadores para não ofuscar os olhos. Estes podem ser instalados diretamente no chão ou apoiados em uma estrutura de alvenaria.
  • Recomenda-se usar lâmpada Led por ter maior vida útil, consomem menor energia e esquentam menos, além de trazer menos riscos de choques.
  • Balisadores ao longo da escada, apoiados nos pilares do corrimão, são usados para demarcar o percurso.
  • Em escadas menores, pode-se usar somente uma luminária em uma das colunas para garantir a iluminação dos degraus.
  • Podem ser instaladas luminárias nos espelhos dos degraus, ajudando a orientar com precisão a altura e a largura de cada degrau.

Iluminando as plantas e estruturas

  • Nos jardins iluminar as plantas com jogo de luz e sombra entre os elementos, lâmpadas de baixa tensão.
  • Os Spots iluminam com eficiência os contornos de vegetações e arbustos até 2 metros.
  • Para destacar uma planta utilize luminárias direcionadas para a árvore ou arbusto, existe a técnica chamada Up light onde a luminária é embutida na terra e a iluminação é de cima para baixo.
  • Se a Planta escultural for de pequeno porte usar espetos com direcionamento com lâmpada par 20 e se for de grande porte usar lâmpada para 38.

Iluminando piscinas, lagos e espelhos d’água

  • A iluminação se torna muito necessária quando se fala em piscinas, spas, laguinhos e espelhos d’água.
  • Recomenda-se usar lâmpadas de Led que garantem maior segurança e menor consumo.
  • Projetores localizados externamente diminuem os riscos de choque transmitidos pela água.
  • Atente-se sempre como será feita a instalação elétrica, para os usuários terem segurança quando forem usar o espaço.

Iluminando em jardins pequenos

  • Defina o que será destacado e o que ficará no escuro
  • Em decks e quintais a iluminação pode ficar em locais específicos de tarefas.
  • Para plantas de grande porte usar espeto com lâmpada par 38 para acentuar a iluminação.
  • Para plantas menores usar espeto com lâmpada par 20.
  • A iluminação de segurança usando luminárias tartaruga
  • Holofotes – ganhar volume, focos abertos usando spots flexíveis de alumínio
  • Plantas de pequeno porte – lâmpadas de potencia menores de ate 50W
  • Plantas de porte maior – precisam de pelo menos 100w, modelos AR 111 e par 38.
  • Spots iluminam com eficiência os contornos de vegetações e arbustos até 2 metros.
  • Espetos tem um alcance luminoso maior e também podem ser usados como sinalizadores de caminho.

Iluminando grandes áreas

  • Definir o que será destacado e o que ficará no escuro.
  • Use refletores para pontos específicos.
  • Spots iluminam com eficiência os contornos de vegetações e arbustos até 2 metros.
  • Espetos de jardins iluminam sem ofuscar a visão.
  • Para plantas de grande porte, use espeto com lâmpada Par 38 para acentuar a iluminação e para plantas de pequeno porte usar espeto com lâmpada Par 20.
  • Holofotes ajudam a ganhar volume, focos abertos usando spots flexíveis de alumínio.
  • Plantas de pequeno porte pedem lâmpadas de potências menores, de até 50w.
  • Plantas de porte maior precisam de, pelo menos, 100w, modelos AR 111 e ar 38.
  • Para sinalizar os caminhos, use balisadores.

Confira abaixo algumas imagens de jardins com iluminação adequada.